Há dois anos à espera da reforma

Há dois anos à espera da reforma
Lucília Galha 22 de janeiro

O problema é antigo? É. Já se resolveu? Não. Pessoas que descontam para os dois regimes, público e privado, acabam por ser as mais prejudicadas.

Há pelo menos 136 dias que a rotina diária de Ruy Ribeiro incluía entrar no site da Segurança Social Direta e verificar o estado da sua pensão. A informação que encontrou ao longo destes 136 dias foi, invariavelmente, a mesma: “Em análise.” Como se não bastasse estar aposentado – e, portanto, sem quaisquer rendimentos – desde 10 de novembro de 2021, o médico veterinário viu-se ainda no meio de uma espécie de pingue-pongue entre as duas instituições responsáveis pela atribuição da sua reforma. “O Centro Nacional de Pensões garante que fez o pedido à Caixa Geral de Aposentações. A Caixa Geral de Aposentações diz que não mandaram informação porque não receberam o pedido. É o jogo do empurra”, diz à SÁBADO.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais