Dirigente do CDS diz que "Congresso do Chega não é propriamente um congresso"

Dirigente do CDS diz que 'Congresso do Chega não é propriamente um congresso'
Margarida Davim 11 de outubro

"O único interesse que poderá ter o Congresso do Chega é vermos outra vez o Dr. André Ventura a chorar", diz à SÁBADO João Merino, membro da Comissão Política Nacional do CDS.

A oposição interna a Chicão, agora unida em torno de Nuno Melo, está contra a realização do Congresso do CDS para os mesmos dias em que o Chega terá o seu conclave. Mas na direção centrista desvaloriza-se a coincidência de datas nos dias 27 e 28 de novembro.

"O Congresso do Chega não é propriamente um congresso", afirma João Merino, da Comissão Política do CDS, que diz que a reunião magna do partido de extrema-direita é "um evento de um partido, que é um partido de um homem só".

Com a eleição de André Ventura assegurada, este será, no entender do dirigente do CDS, "um congresso de aclamação".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais