Bob Brier: “Lenine está em formol, dentro de um fato de mergulho”

Bob Brier: “Lenine está em formol, dentro de um fato de mergulho”
Vanda Marques 31 de dezembro de 2022

A múmia mais famosa do mundo, Tutankhamon, foi descoberta há 100 anos. O egiptólogo, que já analisou o pai da URSS e Ramsés II, revela que foram roubadas peças que estão espalhadas por museus.

Quando novas múmias são encontradas é Bob Brier que é chamado para as analisar. Com mais de 30 anos de experiência a trabalhar no Egito, o americano adora resolver mistérios. E não se fica pelos faraós – ele próprio experimentou mumificar um cadáver humano com as técnicas do Antigo Egito –, já analisou as múmias de Lenine e Eva Péron. Formado em anatomia, interessou-se por múmias quando percebeu que várias informações nos livros sobre mumificação estavam erradas. Aliás, é para corrigir erros que trabalha e foi isso que escreveu sobre os 100 anos da descoberta do túmulo de Tutankhamon. Revela que o faraó não era fraco nem coxo e prova ainda que Howard Carter, o responsável pela expedição, terá desviado vários objetos sem o governo egípcio saber.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui