Moratória da banca passa a aplicar-se apenas quando créditos estão excluídos da pública

Jornal de Negócios 23 de junho de 2020

A decisão da Associação Portuguesa de Bancos segue-se ao prolongamento da moratória legal aprovada pelo Estado, até 31 de março de 2021, que inclui agora mais créditos e mais clientes.

A Associação Portuguesa de Bancos (APB) decidiu ajustar a sua moratória no crédito depois de o Governo ter aprovado um prolongamento da sua solução, abrangendo agora mais clientes e créditos. De acordo com a associação, a solução privada da banca apenas se vai aplicar nos casos que não cumpram os requisitos de acesso à moratória legal. 

"Revelou-se necessário proceder a alguns ajustamentos às condições das duas moratórias gerais previstas no Protocolo APB", afirma a entidade liderada por Faria de Oliveira num comunicado divulgado esta terça-feira. Com estas alterações, continua, "pretende-se, no essencial, continuar a assegurar que as moratórias privadas assumem uma natureza complementar face às moratórias legais".

Nesse sentido, a APB avançou com a "atualização das condições de aplicação das moratórias de iniciativa privada, assegurando que estas apenas serão aplicáveis nas situações que não cumprem os requisitos de elegibilidade de acesso à moratória pública". 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais