Como recuperar uma fortuna estragada, nota a nota

Como recuperar uma fortuna estragada
Marco Alves 10 de junho de 2017

O Banco de Portugal tem um serviço que recupera dinheiro queimado, molhado ou... comido pelos ratos


A actividade noticiosa na primeira semana de Agosto de 2016 foi largamente dominada pelo grande incêndio que assolou a Madeira, e os números expressam-no bem: três mortos, mil deslocados, 300 edifícios danificados, 20% do concelho ardido, dezenas de milhões de euros de prejuízos, outros tantos milhões de pequenos e grandes constrangimentos para os funchalenses.

Um desses constrangimentos acabaria por ser resolvido muito longe da Madeira, no continente, num complexo de alta segurança do Banco de Portugal situado no Carregado, a 40 km de Lisboa, com GNR à porta de metralhadoras a tiracolo e pastores alemães pela trela.

O proprietário de uma das casas afectadas pelo fogo tinha muito dinheiro escondido – as notas sobreviveram, mas em mau estado. A solução foi-lhe apresentada pela Delegação Regional da Madeira do Banco de Portugal: o dinheiro tinha de ir para Lisboa, bem acondicionado, para a Unidade Central de Operações com Numerário do Departamento de Emissão e Tesouraria do Banco de Portugal – um nome comprido para um departamento composto por duas pessoas a trabalhar a tempo inteiro (quando é necessário, pode ser reforçado) que se dedica a recuperar dinheiro danificado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais