Luís Filipe Vieira: O jeito que dá assinar de cruz

Luís Filipe Vieira: O jeito que dá assinar de cruz
Carlos Torres 31 de outubro de 2018

O presidente do Benfica elogiou Paulo Gonçalves, mas acabou por pedir para que não se confunda o ex-assessor jurídico com o clube. Vieira avisou ainda que se demite se ficar provado que houve corrupção na Luz: ou seja, a sua equipa de advogados já o tranquilizou que os vários casos não vão dar em nada

Na entrevista que deu à TVI, o presidente do Benfica revelou que não liga a minudências. "Tenho mais que fazer" ou "não sou bilheteiro do Benfica" foram as respostas de Luís Filipe Vieira quando interrogado sobre emails a pedir camisolas ou bilhetes. "Respondo ok a tudo. Acham que leio tudo ao milímetro?", questionou o líder encarnado, que garantiu ainda que nos contratos de jogadores também assina de cruz. "Vejo o dinheiro que vão ganhar, os anos de duração e pouco mais, não vou ler tudo".

Significa isto que Luís Filipe Vieira tem realmente mais em que pensar ("a minha preocupação é estratégica", disse) do que em pedidos de bilhetes, mas significa também que o presidente confia na equipa que tem a trabalhar com ele, daí o limitar-se a assinar de cruz – o que deixou o jornalista da TVI (e provavelmente muita gente que viu a entrevista) incrédulo.

Mas esse comportamento de estadista, seja autêntico ou encenado, seja ingénuo ou irresponsável, agora vai dar muito jeito ao presidente do Benfica, que pode sempre argumentar que não sabia de nada sobre eventuais favores pedidos pelos funcionários do Benfica aos funcionários judiciais em troca de camisolas ou bilhetes – e também, suspeita o Ministério Público, de alguns milhares de euros, pois houve transferências e depósitos suspeitos para José Augusto Silva e Júlio Loureiro, em quantias entre 10 mil e 20 mil euros. Uma questão que não foi abordada na entrevista.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais