Cibersegurança

Stalkerware: Como é fácil espiar o seu telemóvel

Stalkerware: Como é fácil espiar o seu telemóvel
Leonor Riso 11 de março

Relatório da empresa de cibersegurança Kaspersky revela que Portugal foi o 12.º país mais afetado a nível europeu em 2020 por este software, que regista localização, chamadas e mensagens de um telemóvel.

Costuma ter o seu telemóvel no bolso ou na mala, onde quer que vá? Já sabemos que estes aparelhos conseguem registar dados sobre a sua localização, até em tempo real. Mas e se uma pessoa tivesse acesso a esses dados e os usasse para o controlar? É possível, através do chamado stalkerware, um tipo de software que permite aos seus utilizadores espiar a vida de outra pessoa remotamente através de dispositivos eletrónicos, sem que o dono desses aparelhos seja avisado ou o consinta. Estes programas podem estar instalados em telemóveis ou tablets, por exemplo, de forma invisível, impedindo que a vítima alguma vez o saiba. 

De acordo com o relatório O Estado do Stalkerware em 2020, desenvolvido pela empresa de cibersegurança Kaspersky, 127 pessoas foram vítimas do stalkerware nesse ano. Portugal foi o 12.º país mais afetado a nível europeu e o 54.º mais afetado no mundo. O topo da lista mundial de utilizadores afetados (que usaram software da Kaspersky que detetou stalkerware) é ocupado pela Rússia (12.389 pessoas), seguida do Brasil (6.523 casos) e Estados Unidos da América (4.745). 

O que é que o stalkerware permite fazer? 

De acordo com o relatório, este software permite por exemplo ler tudo o que uma pessoa escreva no seu telemóvel, ao poder registar cada tecla pressionada. Além das mensagens, permite ainda saber as credenciais para usar serviços como apps bancárias, lojas online e redes sociais. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais