Tudo o que precisa de saber sobre a vacina da AstraZeneca

Tudo o que precisa de saber sobre a vacina da AstraZeneca
Lucília Galha 08 de abril

Ficou provada a relação entre os coágulos e a toma da vacina, mas continua a ser segura. O que é preciso é estar atento a eventuais sintomas nas duas semanas seguintes à vacinação. Há duas ideias a reter: o risco de exposição ao vírus é muito maior e suspender a vacina agora poria em causa todo o processo de vacinação.

Na sequência da conferência de imprensa da Agência Europeia do Medicamento desta quarta-feira, 6 de abril, a propósito da relação entre a vacina da AstraZeneca e casos reportados de coágulos sanguíneos, a SÁBADO falou com dois especialistas para esclarecer as mensagens mais importantes a reter e também o que importa saber sobre a vacina em causa. O cirurgião vascular do Hospital de Braga, Luís Cruz Vilaça, sublinha mais uma vez a ideia de que as situações reportadas são muito raras. E Miguel Castanho, investigador do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina de Lisboa, alerta que nesta altura "não é prudente, nem sensato, introduzir fatores que ainda atrasem mais o plano de vacinação".   

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais