O que se sabe sobre a síndrome inflamatória que atinge as crianças?

Manchas na pele e febre alta e prolongada são alguns dos sintomas da Síndrome Inflamatória Multissistémica Pediátrica. Ainda há muitas questões e os investigadores investem agora em conseguir o diagnóstico precoce.

Febre alta prolongada, dores de barriga, diarreia, manchas na pele, garganta e olhos inflamados - estes são os principais sintomas da Síndrome Inflamatória Multissistémica Pediátrica (MIS-C na sigla em inglês), que está a ser diagnosticada em crianças e jovens que testaram positivo à covid-19. As dúvidas dos especialistas ainda são muitas e as primeiras suspeitas, a nível internacional, surgiram em março do ano passado, mês em que, aliás, foram diagnosticados os primeiros casos de infeção por covid-19 em Portugal. Para já, os especialistas alertam para que, caso se verifiquem alguns dos sintomas já referidos em crianças que foram diagnosticadas com covid-19, seja dada especial atenção. 

Os primeiros alertas surgiram do hospital pediátrico de Filadélfia, pelas mãos do diretor do serviço de infecciologia pediátrica, Audrey Odom John, que começou a receber crianças com sintomas muito semelhantes, como febre ou manchas na pele. Nessa altura, o médico especialista percebeu que a maioria das crianças tinha familiares que testaram positivo à covid-19 e começou a pensar na possível relação entre os sintomas apresentados e a infeção por covid-19. No mês seguinte, em abril, o Reino Unido lançava um alerta que confirmava as suspeitas de Audrey Odom John e, em outubro, o Centro de Saúde da Universidade do Texas publicou uma revisão de vários artigos científicos com base em mais de seis centenas de casos de MIS-C: "Isto acontece tão depressa, e as crianças ficam tão doentes, que 70% precisam de internamento nos cuidados intensivos". 

Elevada atividade das células T

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais