Vincent Doyle: “Sou filho de um padre, amo o meu pai e a minha fé”

Vincent Doyle: “Sou filho de um padre, amo o meu pai e a minha fé”
Leonor Riso 06 de novembro de 2017

Em adulto, descobriu cartas com poemas de amor que revelaram o que sempre desconfiou: que o padrinho, o padre J. J., era o seu verdadeiro pai. Agora, quer uma resposta da Igreja Católica para todos os filhos de padres.


Aos 28 anos, Vincent Doyle descobriu que o seu pai era padre. Em jovem, habituou-se a chamar-lhe J. J.: e sempre pensou que padrinho e afilhado era o único laço que os unia. A descoberta de quem era o pai só aconteceu quando Vincent, no Verão de 2011 e por coincidência, descobriu cartas do padre com poemas, enviadas à sua mãe. Desde aí muitas perguntas ficaram por fazer, uma vez que J.J. morreu de cancro do pulmão quando Doyle tinha apenas 12 anos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais