Uma lição de nervosismo com os Roda Bota Fora

Uma lição de nervosismo com os Roda Bota Fora
Alexandre R. Malhado 22 de fevereiro de 2020

Guilherme Fonseca, Pedro Durão, Pedro Sousa, Diogo Abreu, Daniel Carapeto e Duarte Correia da Silva fizeram as pazes com cerveja, piadas e "enrabanços". A SÁBADO acompanhou-os na estreia da terceira temporada - e foi hilariante, de chorar a rir.

"Vejam lá se esta piada resulta: 'Gosto de usar redundâncias…. e pleonasmos'", perguntou o humorista Daniel Carapeto, agarrado ao telemóvel onde guardava as piadas. De expressão franzida, Guilherme Fonseca agitou a cabeça em reprovação. Carapeto não o deixou sem resposta: "Ainda bem que fui buscar esta piada ao teu Twitter", ripostou, meio a brincar meio a ameaçar. É o nervosismo à flor da pele, por faltar menos de uma hora para testar material novo, mas numa descontração de estar novamente entre amigos. Os Roda Bota Fora estrearam a sua terceira temporada dia 10 de fevereiro, no Teatro Villaret, num ambiente de pazes feitas, finalmente, como nos bons velhos tempos, depois da alegada zanga que os separou, retratada na série recém-estreada Ego — e para o jornalista da SÁBADO foi hilariante, de chorar a rir. Especialmente com o embalo extra das cervejas consumidas nos camarins, enquanto acompanhava os humoristas Guilherme Fonseca, Pedro Durão, Pedro Sousa, Diogo Abreu, Daniel Carapeto e Duarte Correia da Silva. 

À terceira temporada, pouca coisa mudou. O espectáculo de uma hora e meia ainda é feita de dois momentos: primeiro, cada um dos comediantes sobe ao palco sozinho para 10 minutos de stand-up comedy; depois de cada um brilhar, juntam-se todos para o Roda Bota Fora. Trocado por miúdos, é uma batalha de piadas soltas (one liners) cujo vencedor é decidido pelos aplausos do público. Num um contra um, que vai rodando à medida que há um novo vencedor, cada humorista tenta ter mais piada do que o colega. Cada humorista tem duas vidas e, sempre que perde um round, fica sem uma vida. O último de pé, ganha. Desta vez, há uma novidade: gira-se uma roda com várias consequências, que vai desde perder automáticamente uma vida até entregar a responsabilidade de contar a one liner para uma pessoa do público.

O grupo de seis humoristas diz que se chateou no final da segunda temporada, mas à mesa de jantar e nos bastidores, para quem vê de fora, não parece ter havido qualquer zanga. A SÁBADO encontrou-se com os Roda Bota Fora pelas 19:30, no Saldanha Residence, quando já toda a gente estava jantada. Além dos seis humoristas do grupo, também estava à mesa António Raminhos (que seria o convidado da noite), Diogo Valsassina e a restante equipa técnica dos Roda Bota Fora. A mesa era uma confusão de pratos, cervejas e cinzeiros usados, podia muito bem ser apenas uma jantarada de amigos. Discutia-se os óscares, nomeadamente a sonolência de Martin Scorsese durante a atuação de Eminem. "Tens de compreender a idade do senhor", atirava Guilherme Fonseca. Por falar em idade, e a "tesuda" da Jane Fonda? "Tem 82 anos e está como está", respondeu um dos humoristas à mesa, que a SÁBADO prefere não revelar a identidade para não o comprometer. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais