Como celebrar o São Martinho

Rita Bertrand 10 de novembro de 2020

Dicas para bem acompanhar as castanhas em casa e programas para quem quer comer fora ou aproveitar para passear

Mesmo ficando em casa, não deixe de celebrar o São Martinho, que se assinala anualmente a 11 de novembro, para lembrar o santo homem que deu o seu próprio agasalho a um pobre. É verdade que há um ditado a mandar que se prove o "vinho novo" e tradição de beber água-pé, mas a verdade é que as castanhas, que são adocicadas, combinam melhor com vinhos licorosos, do Porto ao Moscatel e Carcavelos, mais considerados e divulgados, mas também com os tradicionais abafados, que se fazem com adição de aguardente às uvas praticamente sem fermentar, e com as clássicas jeropigas – em que a aguardente, ao chegar ao mosto, interrompe a fermentação. 

A questão é saber quais escolher. Nos abafados, boa opção é o Alorna, envelhecido cinco anos em barricas de carvalho, à venda por €8,50, ou o da Herdade do Mouchão, da colheita de 2014, a €15. Mais em conta é o Pedras Negras, da Adega de Palmela, que até 15 de novembro está em promoção na sua loja online, por 3.79€. Para grandes apreciadores, por €73,50 na Garrafeira Nacional, agradará certamente o abafado criado em 1960 por Martins da Costa, filho de um dos fundadores das Caves de São João, na Bairrada.

Quanto aos vinhos Moscatel, o Alambre, da José Maria da Fonseca, é aposta segura, recomendando-se o de estágio de 20 anos, multipremiado, a €29,90, ou o especialíssimo da casta Moscatel Roxo, rara, exclusiva da Península de Setúbal, com estágio de 20 anos, a €98. Para quem prefere o Moscatel do Douro (da casta Moscatel Galego), é de eleger o da Adega de Favaios, envelhecido por 10 anos, a custar €17,75.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais