Processo E-Toupeira parado no Supremo

Processo E-Toupeira parado no Supremo
SÁBADO 22 de fevereiro de 2020

Funcionário judicial e ex-observador de árbitros não concordou com a imputação de mais crimes e recorreu para o Supremo Tribunal de Justiça. Marcação e o início do julgamento estão atrasados.

Júlio Loureiro, ex-observador de árbitros e um dos funcionários judiciais acusados no processo E-Toupeira, recorreu para o Supremo Tribunal de Justiça, atrasando a marcação e o início do julgamento do processo onde estão envolvidos Paulo Gonçalves, ex-assessor jurídico do Benfica, e o funcionário judicial José Silva, avança o Jornal de Notícias.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais