Cinco desembargadores na teia da corrupção da Relação de Lisboa

Cinco desembargadores na teia da corrupção da Relação de Lisboa
SÁBADO 22 de fevereiro de 2020

Supremo já terá extraído pelo menos três certidões autónomas do processo. SMS detetados nos telemóveis de Rangel são prova crucial.

A investigação liderada por Maria José Morgado, que levou à inquirição do juiz Rui Rangel e à apreensão dos seus telemóveis em 2018, deslindou uma teia de tráfico de influências e corrupção no Tribunal da Relação de Lisboa, que envolve, para além de Fátima Galante (ex-mulher de Rangel), três outros desembargadores.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais