Pais e criança recebem 90 mil euros de indemnização por falha no teste do pezinho

Carolina R. Rodrigues 27 de dezembro de 2018

A justiça portuguesa condenou o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge e a Administração Regional de Saúde do Norte a pagarem o montante. A criança sofre de graves deficiências.

Os tribunais portugueses deram razão aos pais de uma criança, hoje com 13 anos, que sofre de graves deficiências e apresenta um grau de incapacidade na ordem dos 78% (para já), devido a uma falha no teste do pezinho em 2005, quando tinha 12 dias de vida. Condenaram o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSRJ) e a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) a pagarem 90 mil euros de indemnização pelo erro.

Nesse ano, seis dias após o nascimento da bebé, os pais levaram-na ao Centro de Saúde de Recezinhos para fazer o diagnóstico precoce (o teste do pezinho), tendo-lhes sido asseverado na altura que seriam imediatamente notificados se o resultado fosse positivo. A informação, porém, nunca chegou aos pais e seis semanas após o parto, o estado de saúde da menina começou a deteriorar-se.

Só em Março de 2006 é que a bebé foi admitida no Hospital de S. João no Porto, com dificuldade em mamar, com vómitos e sem conseguir aumentar de peso. Na unidade hospitalar onde esteve internada 20 dias, foi-lhe diagnosticado hipotiroidismo congénito (uma doença localizada na glândula tiróide que provoca perturbações graves no desenvolvimento mental e físico) e problemas ósseos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais