O ideólogo na sombra de Ventura

O ideólogo na sombra de Ventura
Alexandre R. Malhado 25 de outubro de 2019

Se o partido é de direita radical e liberal, é graças a Diogo Pacheco de Amorim. Um antigo adjunto de Ribeiro e Castro, ideólogo do CDS e PND de Manuel Monteiro – e agora de Ventura, que toma esta sexta posse como deputado.

Quando André Ventura falou à imprensa no Palácio de Belém, na qualidade de deputado recém-eleito pelo Chega, as televisões não enquadravam apenas o líder do partido. Ao seu lado direito estava um homem grisalho, de feições pesadas e sérias, com uma forte presença no plano, apesar de não proferir uma única palavra. Esse homem é Diogo Pacheco de Amorim, vice-presidente do partido. O rosto pode ser desconhecido para o grande público, mas as suas ideias não: ele é, afinal, o ideólogo do partido de André Ventura. Começar a IV República com uma nova Assembleia Constituinte? Ter uma abordagem liberal e anti-Estado da economia, semelhante à primeira fase da Frente Nacional de Jean-Marie Le Pen? São ideias dele.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais