Morte Materna: "Menos dinheiro e menos recursos podem estar na base deste aumento"

Morte Materna: 'Menos dinheiro e menos recursos podem estar na base deste aumento'
Lucília Galha 29 de novembro de 2019

Para Alexandre Valentim Lourenço há uma relação direta entre o indicador e a qualidade dos serviços obstétricos. O presidente da secção regional sul da Ordem dos Médicos espera que o alerta seja suficiente para repor recursos no SNS.

O número lançou o alerta: a taxa de mortalidade materna está a aumentar e, no ano passado, atingiu valores que não tínhamos desde os anos 80. Em 2018 morreram 17 mulheres em Portugal por complicações durante a gravidez, parto ou puerpério – uma taxa de 19,5 mortes por cada 100 mil nascimentos, segundo dados da Pordata, avançados esta sexta-feira pelo jornal Público.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais