Médico que assinou artigo a favor da vacinação de adolescentes tem contrato com a Pfizer

Médico que assinou artigo a favor da vacinação de adolescentes tem contrato com a Pfizer
Bruno Faria Lopes 22 de setembro

Luís Varandas recebe dois mil euros por mês por cargo de consultor na empresa. O médico e o laboratório defendem que a relação é de carácter científico e negam conflitos de interesses.

"Acreditamos que a vacinação dos adolescentes deverá ser, nesta fase da pandemia, uma prioridade para Portugal. Pela saúde global das crianças, mas também pelo controlo da pandemia." A passagem é de um artigo publicado no Expresso no mês passado, no qual dois médicos pediatras defenderam a vacinação universal dos adolescentes, seis dias antes da Direção-Geral de Saúde ter decidido a favor da mesma. Um dos médicos, Luís Varandas, tem um contrato de consultoria científica com a Pfizer desde novembro do ano passado, facto que não refere no final do artigo no jornal. Quer o médico, quer o laboratório – que desenvolveu e que comercializa uma das vacinas contra a covid-19 – defendem que a relação é de carácter científico e negam à SÁBADO que haja conflito de interesses.

Luís Varandas recebeu nos últimos quatro anos 33.519 euros da Pfizer, entre verbas pagas por palestras nas quais foi orador, gravações de vídeos sobre vacinas e o referido contrato de consultoria científica (que vale dois mil euros mensais). O contrato aumentou o envolvimento entre as duas partes – cerca de 58% do total recebido (19.573 euros) foi encaixado já este ano. As verbas detalhadas são consultáveis no Portal Transparência e Publicidade, do Infarmed, um instrumento criado no tempo da troika para aumentar a transparência nas relações financeiras entre os prestadores de cuidados de saúde e a indústria farmacêutica e de dispositivos médicos.

O médico perito em infecciologia trabalha no Hospital Pediátrico Dona Estefânia, em Lisboa, tem carreira académica na Universidade Nova e foi coordenador da comissão de vacinas da Sociedade Portuguesa de Pediatria – este é um órgão influente, que emite recomendações aos pediatras e outros profissionais de saúde sobre as vacinas a dar às crianças, incluindo as que estão fora do Programa Nacional de Vacinação. Além do artigo no Expresso, Luís Varandas é uma presença assídua nos media para falar sobre vacinas. Na Pfizer presta "apoio técnico-científico ao departamento médico, nas áreas das doenças Meningocócia e Pneumocócia", indica a empresa nas respostas enviadas à SÁBADO.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais