João Jardim vai impugnar eleições diretas do PSD devido a "ilegalidade estatutária”

SÁBADO 11 de janeiro de 2020

Antigo presidente do PSD/Madeira defendeu que "organizações estranhas" estão a "interferir na vida do PSD da Madeira" e que os militantes foram "enganados propositadamente". 

Alberto João Jardim anunciou que vai impugnar as eleições diretas do PSD, depois de ter apresentado um protesto nas mesas de voto durante o ato eleitoral que se está a realizar este sábado. A decisão surge em consequência da polémica entre o PSD nacional e o PSD/Madeira em matéria de contabilização do número de militantes na Madeira relacionada com o modo de pagamento das quotas. Segundo um regulamento de quotizações aprovado pelo Conselho Nacional do partido em novembro, este só poderá ser feito por multibanco (através de referência aleatória), cheque, vale postal (apenas autorizado para militantes com 60 anos ou mais), débito direto, cartão de crédito ou MB Way. A maioria dos militantes na Madeira paga as quotas diretamente na sede, sendo que apenas 104 cumprem os requisitos do novo regulamento. Mas o PSD/Madeira decisou aceitar que todos os que tenham pago possam votar. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais