Hospital de Cascais proíbe sandálias, piercings e perfume "desagradável"

Alexandra Pedro 23 de março de 2018

Novo regulamento interno do Hospital público-privado está a gerar polémica. Sindicato dos Médicos da Zona Sul promete "accionar todas as diligências legais para impedir" que hospital "se transforme em caserna militar".

O Hospital de Cascais decidiu aprovar um novo regulamento interno com várias normas relacionadas com a apresentação dos seus funcionários. De acordo com o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, as regras implementadas proíbem o uso de sandálias, piercings ou tatuagens visíveis e perfume que não seja "agradável". 

É recomendado ainda o uso de maquilhagem discreta, desodorizante sem cheiro e, para os homens que estão na recepção do hospital, "meias lisas e discretas, de preferência azuis escuras". 

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul publicou um comunicado onde se insurge contra algumas medidas que considera "chocantes" e "que revelam concepções de puro totalitarismo a lembrar países onde imperam os fundamentalistas religiosos". 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais