Formar um médico custa quase 100 mil euros, seja no público ou no privado

Formar um médico custa quase 100 mil euros, seja no público ou no privado
Sara Capelo 17 de setembro de 2021

Valor das propinas da Universidade Católica tem causado surpresa. Porém, a instituição diz que preço de formação por aluno até diverge "por defeito" dos valores no público. Nova Medical School lamenta que dotação orçamental não cubra tudo

Mais de 15.500 euros separam o pagamento da propina no recém-criado curso de Medicina da Universidade Católica Portuguesa (UCP) e nas restantes escolas de Medicina em Portugal. São 15.553 euros se quisermos ser precisos.

Nas instituições públicas, o valor máximo de propina está fixado por lei e são 697 euros para o corrente ano lectivo. Todavia, esta propina não cobre a totalidade do custo com cada aluno. E na Católica são cobrados 16.250 euros a cada estudante de Medicina (1.625 euros ao longo de 10 meses) um valor que, diz fonte oficial da UCP à SÁBADO, "reflete o custo real de formação de um médico e que não diverge, senão por defeito, daquilo que é a formação de um médico numa instituição estatal."  

Será? O Ministério da Ciência e Ensino Superior não tem qualquer estudo ou estimativa sobre o valor de alunos por curso, uma vez que a dotação orçamental (e que as faculdades lamentam ser insuficiente, como se lê logo na introdução ao relatório de gestão da Nova Medical School de 2020) segue para as universidades, que dispõem de autonomia na sua distribuição.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais