Quando me vires no futebol
Paulo Batista Ramos
12 de outubro

Quando me vires no futebol

A ironia geopolítica foi podermos ver rufias e corsários ingleses agitando a bandeira verde da shahada (profissão de fé islâmica) nas ruas da britânica Newcastle upon Tyne.

Na última semana, a Premier League assentiu que um consórcio liderado pelo fundo soberano da Arábia Saudita, o Public Investment Fund, um dos maiores fundos do mundo, compra-se o clube de futebol inglês Newcastle United.

A ironia geopolítica foi podermos ver rufias e corsários ingleses agitando a bandeira verde da shahada (profissão de fé islâmica) nas ruas da britânica Newcastle upon Tyne. De facto, não era a bandeira branca dos Talibã, nem a preta do "Estado Islâmico", mas a verde da milionária e absolutista Casa de Saud e também da cor do manto do profeta.

A Arábia Saudita não é uma potência qualquer, juntamente com o Irão, constituem os dois eixos estratégicos do Médio Oriente. Desde a sua fundação, que tem tido um papel preponderante no mundo muçulmano, primeiro num prisma religioso e depois no plano geoeconómico.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui