Breve crónica da longa guerra em África
Paulo Batista Ramos
23 de março

Breve crónica da longa guerra em África

A evolução do conflito em Cabo Delgado para alguns não passa de mais um conflito assente em causas endémicas africanas. Para outros, comprova a manipulação da religião, em nome dos interesses e da ganância pela abundância de recursos naturais.

Na última semana, o blitz de reportagens da RTP sobre os impactos da "longa guerra" no norte de Moçambique, impressionou, comprovando a pedalada do jornalista. Quase em simultâneo, a indústria humanitária divulgava os seus relatórios, ideologicamente corretos, a publicitar as atrocidades cometidas nessa província, inacessível, de Cabo Delgado.

A evolução do conflito em Cabo Delgado, desde 2017, para alguns não passa de mais um conflito assente em causas endémicas africanas. Para outros, comprova a manipulação da religião, em nome dos interesses e da ganância pela abundância de recursos naturais.

Convém, realisticamente, não ignorar os perigos e a gravidade do conflito no norte do país, para que, ulteriormente, cidades como Nacala, Nampula ou a até a Beira, não possam ser surpreendidas, pelo incessante alastramento do frenesim da violência barbárica.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui