O regresso da abundância geográfica americana
Paulo Batista Ramos
16 de março

O regresso da abundância geográfica americana

As esferas das responsabilidades internacionais norte-americanas devem ser contraídas e como isso as suas visões de transformação da humanidade.


Os principiais traços do carácter americano foram definidos pela abundância geográfica. A inexistência de ameaças externas sobre o território e a consequente ausência de ameaças existenciais, geraram um posicionamento estratégico excepcional e uma política externa optativa.

A ocorrência de dezenas ataques semelhantes aos de 11 de setembro 2001 seriam incapazes de derrubar os EUA. O detonar de armas nucleares no centro das suas principais cidades, nunca significará que o povo norte-americano ficaria de joelhos à espera de uma invasão.

Trump e os seus sequazes efetuaram um revisionismo desta postura estratégica, por natureza isolacionista, recauchutando o "America First" (slogan recuperado da principal organização oposicionista à intervenção dos EUA na Segunda Guerra Mundial, o American First Committee, baseado na Universidade de Yale), atribuindo-lhe uma conotação ofensiva, nacionalista e supremacista.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui