Quem é o homem que quer tirar o Vaticano do armário?

Quem é o homem que quer tirar o Vaticano do armário?
Diogo Camilo 21 de fevereiro de 2019

Através do livro "No Armário do Vaticano", Frédéric Martel pretende expor a homossexualidade entre os representantes da Igreja Católica. Jornalista e sociólogo, diz que esta obra apenas poderia ter sido escrito por um homossexual assumido – “há que conhecer os códigos”, diz.

No mesmo dia em que se inicia a cimeira convocada pelo Papa Francisco sobre "a proteção dos menores na igreja", é lançado também o livro "No Armário do Vaticano", que alega que 80% de todos os padres e bispos do Vaticano são homossexuais. O seu autor defende que a "homossexualidade é a explicação para a maioria dos problemas da Igreja desde há 50 anos" sem nunca abordar diretamente ou indiretamente o tema dos abusos sexuais na sua obra. Mas quem é este escritor que está a causar desconforto no Vaticano?

Frédéric Martel é um jornalista e sociólogo com estudos em Ciências Sociais, Filosofia, Ciência Política e Direito Público. Homossexual assumido e, inclusive, com um livro – "Global Gay" – que relata a "revolução gay que está a acontecer no mundo, tem-se tornado conhecido pelas suas extensas e meticulosas investigações. "No Armário do Vaticano" não é exceção.

Durante quatro anos, o jornalista e sociólogo viajou por mais de trinta países – incluindo Portugal – e falou com mais de 1500 pessoas para expor "um surpreendente relato da hipocrisia e corrupção no coração" na Santa Sé. Entre as fontes desta investigação, estiveram 41 cardeais, 52 bispos e monsenhores, 45 núncios apostólicos e mais de duzentos padres que admitiram este "armário" a Martel.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais