O novo bem valioso em Hong Kong? Papel higiénico

O novo bem valioso em Hong Kong? Papel higiénico
Bruno Faria Lopes 14 de fevereiro de 2020

A epidemia do coronavírus está a tornar mais difícil encontrar bens básicos, que passaram a ser uma oferta valiosa de alguns empregadores.

Joel Werner tentou durante dias com a sua família encontrar papel higiénico na cidade de Hong Kong, afectada pela epidemia do coronavírus que tem o seu foco na China. Como não conseguiu comprou o equvalente a 216 rolos de papel na Amazon, pagando 200 dólares só em portes de envio. Werner gere um fundo de investimento baseado em Hong Kong e vai oferecer metade a amigos e colegas de trabalho. 

"É um presente melhor do que vinho nesta altura", afirma à agência Bloomberg. As pessoas têm comprado grandes quantidades de produtos básicos de higiene pessoal – papel higiénico, toalhetes, fraldas, desinfectante para as mães e sobretudo máscaras – levando por vezes a rupturas no stocks em cidades asiáticas ricas como Hong Kong e Singapura.  

Em Singapura, o gigante de trading de produtos financeiros IG começou a distribuir pacotes aos trabalhadores com máscaras faciais, termómetros e líquido antiséptico. Quando o nível de alerta na cidade-estado subiu para laranja, a IG alargou a partir de hoje distribuição a todos os clientes. "Começou por ser uma precaução para amigos e família e depois outros começaram a perguntar onde podiam arranjar máscarsa e outras coisas", contou um responsável da IG à Bloomberg.  

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais