Médicos norte-americanos protestam contra a venda de armas semi-automáticas

Carolina R. Rodrigues 15 de novembro de 2018

Diversos médicos dos EUA uniram-se numa campanha contra a venda deste tipo de armas, mostrando imagens nas redes sociais do que significa cuidar de vítimas de tiroteios no país. A posição já desencadeou uma discussão com a Associação de Armas Nacional.  As imagens podem ferir a susceptibilidade dos leitores mais sensíveis.

Uma campanha de médicos norte-americanos contra a venda de armas semi-automáticas está a causar polémica no país, depois da Associação de Armas Nacional dos EUA (NRA, sigla original) ter criticado fortemente a posição dos profissionais de saúde.

Diversos médicos nos EUA usaram as redes sociais para mostrar fotografias das batas cobertas de sangue e o caos nas urgências, de forma a ilustrar como lidam com pacientes vítimas de tiroteios no país.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais