Covid-19: Ministro do Interior turco renuncia depois de anunciar quarentena obrigatória

Lusa 12 de abril de 2020
As mais lidas

Suleyman Soylu renunciou ao cargo na sequência do anúncio de isolamento obrigatório para os moradores de 31 cidades, que levou várias pessoas a açambarcar produtos.

O ministro do Interior da Turquia renunciou hoje ao cargo na sequência do anúncio de isolamento obrigatório para os moradores de 31 cidades, para mitigar a propagação da pandemia, e que levou várias pessoas a açambarcar produtos.

Istambul Turquia Coronavirus
Istambul Turquia Coronavirus REUTERS/Umit Bektas

"Que a minha nação, que nunca quis prejudicar, e o nosso Presidente [Recep Tayyip Erdogan], a quem serei fiel a vida inteira, me perdoem. Deixo o cargo no Ministério do Interior que desempenhei honradamente", disse Suleyman Soylu em comunicado.

O Governo da Turquia ordenou, na sexta-feira, o isolamento obrigatório para todos os moradores de 31 cidades, incluindo Ancara, capital do país, e Istambul, durante 48 horas, para combater a disseminação da pandemia da doença provocada pelo SARS-CoV-2.

A quarentena obrigatória estava em vigor até ao final do dia de hoje.

Esta decisão tinha sido motivada pela previsão meteorológica de bom tempo durante o fim de semana, que aumentou os receios de grandes concentrações de pessoas, ignorando as recomendações de isolamento profilático do Governo.

O anúncio do Governo fez com que várias pessoas entrassem em pânico e acorressem aos supermercados para açambarcar produtos, formando enormes filas.

De acordo com a oposição ao executivo de Erdogan, muitos cidadãos não respeitaram as recomendações de distanciamento social e não estavam a utilizar máscara, permitindo "em duas horas o volume de contágio de dois dias".

O ministro do Interior demissionário reconheceu que as filas geradas em superfícies comerciais "não são correspondentes a um processo bem gerido".

"Com a minha experiência e com a parte da responsabilidade que me toda neste assunto, não deveríamos ter permitido que acontecesse", realçou Suleyman Soylu na mesma nota.

A Turquia evitou, até agora, o confinamento obrigatório na totalidade do território, no entanto, ordenou a permanência em casa de todos os cidadãos com menos de 20 anos ou mais de 65.

Apesar de as escolas e algumas empresas, como, por exemplo, cafés, restaurantes ou cabeleireiros, terem encerrado temporariamente, outras permanecem em funcionamento e a população continua a deslocar-se diariamente para o trabalho.

O novo coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia da doença covid-19, já provocou mais de 109.000 mortos e infetou quase 1.800.00 milhões de pessoas, em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 360.000 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Opinião Ver mais