O efeito Web Summit (e não só)

O efeito Web Summit (e não só)
Bruno Faria Lopes 03 de novembro de 2017

Mais estrangeiros a escolherem Portugal para montar empresas, mais portugueses qualificados a voltarem para o país, mais investidores atentos ao que aqui se passa. A onda não pára de crescer.

Rob Kramer, 30 anos, explica que a sua ambição é unir todos os parques de estacionamento da Europa numa só aplicação – a integração europeia, versão estacionamento. Está em Lisboa para desenvolver a sua empresa depois de ter ganho o Lisbon Challenge, um programa da incubadora portuguesa Beta-i, que oferece um curso de aceleração de projectos e financia em 10 mil euros o projecto escolhido em troca de uma posição accionista de 1,5%. O austríaco explica que o mais provável é acabar por deslocar a sua equipa de cinco pessoas de nacionalidade diferente para Lisboa. "O ecossistema de inovação está a crescer muito depressa aqui, as pessoas têm 'fome', prestam muito apoio e o nível geral de inglês é muito bom", diz o fundador da Parkio. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais