Governo justifica erros e atrasos no lay-off com respostas automáticas do sistema

Jornal de Negócios 20 de maio de 2020

No Parlamento, Ana Mendes Godinho alegou que não seria possível tratar milhares de processos sem um programa informático que, nalguns casos, enviou os processos para trás. Processos validados já abrangem mais de 735 mil trabalhadores

Não teria sido possível dar resposta a dezenas de milhares de pedidos de lay-off sem implementar um processo automático na Segurança Social que, nalguns casos, enviou automaticamente os processos para trás, explicou a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, no Parlamento.

Questionada pelos deputados sobre as denúncias de erros e atrasos no processo, a ministra começou por explicar que "ninguém estava preparado" para esta situação e que foi necessário criar um processo informático.

"Para conseguir processar e pagar 90 mil processos até ao momento [isso] teve de ser feito de uma forma automática, informaticamente. Não era possível tramitar estes processos de forma manual sob pena de incapacidade de resposta de todos", disse, numa audição sobre o assunto solicitada pelo PAN.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais