A nossa paixão e os biliões "tax-free" do Mundial

A nossa paixão e os biliões 'tax-free' do Mundial
Bruno Faria Lopes 05 de dezembro de 2022

Num bar escuro em Buenos Aires, casa de catedráticos de futebol, o inesquecível Sandoval de “O Segredo dos seus Olhos” explica ao seu atónito chefe Benjamin: “Uma paixão é uma paixão”. Os biliões de lucro “tax-free” da FIFA com o Mundial mostram como sabe predar a maior paixão do mundo.

Se está à espera de que eu discorra nestas linhas sobre a exibição de luxo do Messi contra a Austrália ou as hipóteses da nossa seleção, então veio ao sítio errado – afinal, não foi por acaso que dei a esta coluna temporária o nome "O Estraga Festas". As linhas que se seguem são sobre outro luxo: o negócio bilionário, cada vez mais bilionário, do Campeonato do Mundo que a FIFA organiza, o evento mais lucrativo do planeta.   

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais