Pfizer não revelou ter uma droga que reduzia risco do Alzheimer. Porquê?

Pfizer não revelou ter uma droga que reduzia risco do Alzheimer. Porquê?
Leonor Riso 06 de junho de 2019

O fármaco Enbrel trata a artrite reumatoide. Desde 2015 que farmacêutica sabe que podia reduzir risco de Alzheimer em 64%. Mas não divulgou dados, nem fez ensaios clínicos.

Em 2015, uma equipa de investigadores da farmacêutica Pfizer descobriu, através de uma análise estatística, que um dos medicamentos mais vendidos podia reduzir o risco de sofrer de Alzheimer em 64%. Mas não avançou para estudos clínicos, nem divulgou os dados para que outros pudessem investigar.

A decisão foi descoberta pelo jornal Washington Post. O fármaco em questão, o Enbrel, é um anti-inflamatório que combate a artrite reumatoide e também é usado contra a psoríase.

Para ter certezas acerca do seu efeito contra a doença de Alzheimer, era necessário conduzir um estudo durante quatro anos, que envolveria até 4 mil pacientes e que custaria 80 milhões de dólares (71 milhões de euros). O Enbrel reduz a inflamação ao atacar uma proteína chamada TNF-a. Essa ação pode prevenir o Alzheimer.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais