OMS admite que assintomáticos com Covid-19 não infetam: "É muito raro"

OMS admite que assintomáticos com Covid-19 não infetam: 'É muito raro'
Diogo Camilo 09 de junho de 2020

Em Portugal, o R nunca chegou a ser muito superior a 2. Porquê? Talvez se explique agora que, na realidade, há quem esteja infetado e não espalhe a doença. E a ausência de contaminação até pode ser mais normal do que o contrário.

A afirmação surgiu entre os pingos da chuva durante a conferência de imprensa diária da Organização Mundial de Saúde (OMS) mas, a confirmar-se, poderá mudar completamente a abordagem à Covid-19. Esta segunda-feira, a epidemiologista e principal responsável técnica da resposta à pandemia, Maria van Kerkhove, assumiu que a transmissão do novo coronavírus por pacientes sem sintomas da doença, como febre ou tosse, parece ser "rara".

As declarações surgiram depois de, pelo menos, metade dos novos casos do coronavírus descobertos em Singapura não terem mostrado qualquer sintoma da doença, com o país asiático a continuar a levantar restrições – mesmo perante um evidente aumento de casos diários.

Van Kerkhove indicou que muitos países têm identificado casos assintomáticos mas não conseguiram encontrar o que causou a propagação do vírus, acrescentando: "Pelos dados que temos, ainda parece muito raro que uma pessoa assintomática consiga transmitir o vírus a um segundo indivíduo".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais