Menos 765 mil urgências devido às taxas moderadoras em 2016

Menos 765 mil urgências devido às taxas moderadoras em 2016
Leonor Riso 07 de março de 2017

Esta é uma das conclusões de uma investigação que revela que cerca de 2,7 milhões de cuidados de saúde não foram prestados devido ao mesmo factor

Um estudo da Universidade Nova de Lisboa, divulgado hoje pelo Diário de Notícias, revela que cerca de 2,7 milhões de cuidados de saúde não foram prestados devido às taxas moderadoras. Pedro Simões Coelho, o autor do estudo Índice de Saúde Sustentável 2016, da Nova Information Management School, adiciona porém que "quase 40% dos utilizadores consideram o valor das taxas moderadoras como adequados ou muito adequados e praticamente 50% dos utilizadores consideram que o preço dos medicamentos e a comparticipação do Estado é adequado ou muito adequado".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais