Goldman Sachs: curar pacientes pode não ser negócio sustentável Exclusivo

Diogo Camilo com Leonor Riso 16 de abril de 2018

Relatório dirigido a empresas de biotecnologia indica que soluções podem afectar "fluxo permanente de receitas".

Analistas do banco de investimento Goldman Sachs questionaram a sustentabilidade das empresas de biotecnologia, com especial destaque para as envolvidas na terapia genética, chegando à conclusão de que "as curas de doenças podem ser más para os negócios no longo prazo". A notícia é da estação televisiva CNBC, segundo a qual os referidos analistas apresentaram um relatório, no dia 10 de Abril, intitulado "A Revolução do Genoma". No documento, questiona-se: "Curar os pacientes é um modelo de negócios sustentável?"

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais