Ambiente

Em Lisboa, vai decidir-se o que faremos com o mar. Ou não?

Em Lisboa, vai decidir-se o que faremos com o mar. Ou não?
Leonor Riso 27 de junho

Líderes mundiais vão reunir-se para encontrar soluções para o problema dos oceanos. Mas os especialistas ouvidos pela SÁBADO duvidam da eficácia da Declaração de Lisboa.

"É necessária maior ambição a todos os níveis para enfrentar o estado terrível do oceano.” Assim começa o rascunho final da que será a Declaração de Lisboa, o documento que encerrará a II Conferência dos Oceanos das Nações Unidas. Entre 27 de junho e 1 de julho, políticos, peritos e organizações não governamentais vão discutir a “emergência global” que atinge os oceanos e o que se fará – ou não – quanto a isso.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais