Como a polícia "apanha" falsas denúncias de roubos de telemóveis

Como a polícia 'apanha' falsas denúncias de roubos de telemóveis
Mariana Branco 17 de setembro de 2018

Os telemóveis caros, comprados com seguro, são muitas vezes motivo de queixas falsas. Conseguem as autoridades perceber quais são mentira?

Quando um cidadão se dirige a uma esquadra para apresentar uma queixa, o agente, enquanto ouve a denúncia, escreve num computador o que a pessoa está a contar – com as palavras exactas. Mas como é possível perceber se uma denúncia é ou não verdadeira? Os telemóveis caros, comprados com seguro, são muitas vezes motivo de queixas falsas.

Miguel Camacho, inspector da polícia espanhola, lia em 2012 declarações de roubos com violência na rua. Apesar de algumas das queixas lhe parecerem falsas, principalmente as relacionadas com telemóveis, explica ao El País que "era muito ingénuo na altura". Além disso, não acreditava que alguém se dirigisse a uma esquadra para denunciar algo apenas para conseguir cobrar um seguro.

Após receber uma bolsa para a faculdade UCLA, em Los Angeles, o inspector especializou-se em polícia preditiva. Depois de regressar a Madrid, decidiu reunir um grupo de investigadores para desenvolver um sistema que ajudasse – através da inteligência artificial – a "apanhar" falsas denúncias. "Não sei como não me lembrei antes de algo tão óbvio", contou ao jornal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais