Um milhão por um terreno virtual

Já há imobiliárias do mundo digital. Não são apenas jogos, mas um investimento financeiro. Até o mundo da arte se rendeu.

A localização é tudo. Quer seja na Avenida da Liberdade, em Lisboa, na Quinta Avenida, em Nova Iorque ou até no mundo de parcelas digitais que é a Decentraland. Quanto mais central – entenda-se que nesta realidade virtual falamos de estar perto de praças com eventos – mais caro. O mundo imobiliário virtual tem regras parecidas com as do real. Mudam as moedas é certo, que aqui não se fala em dólares, mas em criptomoedas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais