Dois bebés na barriga, só um nasceu

Dois bebés na barriga, só um nasceu
Vanda Marques 11 de junho de 2017

Fátima engravidou de gémeos e não vai esconder da filha que Tomás não sobreviveu. Às 23 semanas e seis dias terminou essa gestação e Inês nasceu 4 meses depois. Leia a primeira pessoa

Tenho um fio, que levo sempre ao peito, com uma bonequinha e um anjinho. Costumo dizer à minha filha Inês: "Esta menina és tu." Ela acha graça, porque gosta muito do fio. Depois acrescento: "E este anjinho era o mano, que estava contigo na barriga." De vez em quando vou puxando o assunto, mas sem exagerar. Ela não percebe bem, só tem 4 anos. Mas quero contar-lhe, porque é a história dela. Tem o direito de saber que teve um irmão gémeo. Se calhar, as outras pessoas – a família, os amigos – acabam por esquecer, mas os pais, principalmente nós, as mães, nunca esquecemos. Sou mãe de quatro filhos. Infelizmente, um não está presente, mas será sempre meu filho. Chamava-se Tomás.

No dia do parto da Inês sabia que ela ia nascer e o irmão também – apesar de ter interrompido a gravidez do Tomás às 23 semanas e seis dias, ele continuou na minha barriga. A partir do momento em que fiz a interrupção, os médicos sempre tiveram muito cuidado para que eu não visse nada nas ecografias, apenas nas primeiras, para confirmar que não havia batimento cardíaco. Depois disso, nunca mais vi qualquer imagem. Devo ter feito mais de 10 ecografias nesse período. Quando chegou a altura do parto por cesariana, porque a Inês estava sentada, não me foi mostrado nada. Nem me perguntaram se queria ver ou não. Mas eu sabia que ele estava lá.

Mesmo assim, concentrei-me na Inês. Era ela que importava. Consegui que fosse um bom dia. Ela nasceu às 39 semanas, com três quilos, e saudável. A maior parte das pessoas que vêem as fotografias do dia do parto, dizem que eu estava com um ar radiante. Claro que, depois, quando nos passam aquele papelinho da alta e escrevem no boletim de grávida quantos bebés nasceram: um nado vivo e um nado morto, custa muito ver que tinha dois filhos e que só saí do hospital com um.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais