Vieira da Silva está "absolutamente tranquilo"

Cátia Andrea Costa 14 de dezembro de 2017

Ministro diz estar disponível para responder a todas as perguntas sobre o seu comportamento e do Ministério do Trabalho e da Segurança Social relativamente à instituição.

O ministro do Trabalho, Segurança Social e Solidariedade, Vieira da Silva, garantiu estar "absolutamente tranquilo" e totalmente disponível para responder a todas as perguntas que os deputados queiram fazer, segunda-feira, sobre o escândalo da alegada gestão danosa na Raríssimas. A comissão de Trabalho e Segurança Social aprovou na quarta-feira por unanimidade um requerimento do PS para que o ministro Vieira da Silva preste esclarecimentos sobre o caso relativo a suspeitas de gestão danosa na associação Raríssimas, tendo a data sido anunciada esta quinta-feira.

"Estou absolutamente tranquilo com o meu comportamento e o do meu ministério neste processo. Aguardo com toda a vontade a chegada do momento na Assembleia República, que é o sítio certo, para prestar todos os esclarecimentos que os deputados me queiram colocar", disse aos jornalistas, acrescentando: "Fui eu que solicitei ao Partido Socialista para que apresentasse uma proposta para que me ouvissem e à equipa do ministério na comissão de Trabalho e Segurança Social. Isso acontecerá na segunda-feira e estarei completamente disponível para responder a todas as questões, reafirmando a minha tranquilidade pela forma como esta instituição [a Raríssimas] foi tratada segundo o princípio da equidade e das normas que regem a relação entre o Estado e as instituições sociais."

O governante revelou ainda que as conclusões da investigação ordenada à associação deverão ser apresentadas nos próximos dias, aguardado o relatório que será elaborado pelos inspectores que se deslocaram à Casa dos Marcos, na Moita. "Não tive ainda contacto com os inspectores, mas espero que, muito rapidamente, possam anunciar o momento em que vão apresentar os resultados", anunciou.

Confiança de Costa
Esta quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, disse manter "total confiança política" em Vieira da Silva, considerando que o facto de ter sido vice-presidente da assembleia-geral da Raríssimas não macula "de alguma forma" a sua excelente actividade governativa.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais