Task force comportamental: "As pessoas estão saturadas da pandemia"

Task force comportamental: 'As pessoas estão saturadas da pandemia'
Diogo Barreto 23 de março

A coordenadora da task force que vai estudar o comportamento dos portugueses avisa que o trabalho desenvolvido deve poder ser aplicável a situações do futuro e não só a esta pandemia.

A psicóloga clínica Margarida Gaspar de Matos foi escolhida para coordenar a task force que vai estudar o comportamento dos portugueses em contexto de pandemia e assessorar o Governo em questões relacionadas com promoção de bons comportamentos. "A nossa equipa tem funções de pesquisa e consultadoria e não deliberativas."

"A equipa é formada por cientistas do comportamento, na sua maioria psicólogos (seis), um antropólogo e um médico", já a contar com a coordenadora que é uma das psicólogas, especializada em jovens e professora catedrática na Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa. E a sua missão é bem clara: "A nossa equipa tem funções de pesquisa e consultadoria e não deliberativas. (...) Não temos a missão de governar e não vamos fazê-lo. Vamos aconselhar com base nas evidências científicas que temos e que vamos manter atualizadas", assegura.

"Ao longo desta pandemia temos verificado que os comportamentos das pessoas têm sido decisivos para a proteção da sua saúde e promoção do seu bem-estar. Os comportamentos das pessoas são pois fundamentais não só para o combate a esta situação pandémica como para eventuais futuras crises de saúde pública", defende a psicóloga, em entrevista à SÁBADO.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais