Quem é quem no núcleo duro de Chicão

Quem é quem no núcleo duro de Chicão
Margarida Davim 08 de novembro

Parecem “uma associação de estudantes”, disse Paulo Portas. Há dois casais (do Porto, com famílias numerosas), amigos da Jota, ex-apoiantes de Ribeiro e Castro e de... Portas.

Os últimos dias foram intensos no grupo de WhatsApp do núcleo duro de Francisco Rodrigues dos Santos. Com o CDS a ferro e fogo, é preciso definir estratégias e alinhar discursos. E, para isso, há mensagens constantes num grupo que, por força da pandemia, teve de se habituar a trabalhar desde o início por meios digitais. “Duas ou três semanas depois de sermos eleitos, ficámos confinados”, conta à SÁBADO Filipa Correia Pinto, admitindo que “o entrosamento não foi fácil” porque a relação se fez inicialmente por WhatsApp ou Zoom.

No grupo das pessoas que Chicão ouve, Filipa Correia Pinto ganhou peso. “É o braço direito do Francisco, é uma figura chave em tudo o que ele faz”, diz uma fonte do CDS, assegurando que “neste processo de cancelar o Congresso, 80% da responsabilidade foi dela”. Não foi a única a apontar ao líder as dificuldades do calendário, mas a questão não foi pacífica entre os próximos do presidente. “Houve dúvidas e hesitações”, admite a porta-voz do partido, Cecília Anacoreta Correia. Até ao Conselho Nacional de sexta-feira, Chicão não tinha decidido ainda o que fazer. Houve um fator determinante: a manchete do jornal Sol que anunciava uma debandada pós-congresso em caso de derrota de Nuno Melo.

Como de todas as vezes que tem de tomar decisões, Rodrigues dos Santos convocou aqueles em que mais confia. À mesa estavam Pedro Melo e Martim Borges de Freitas, que já pertenceram à direção de Ribeiro e Castro, o secretário-geral, Francisco Tavares, o ex-portista e ex-apoiante de João Almeida, António Carlos Monteiro, os vice-presidentes Paulo Duarte e Francisco Laplaine Guimarães, o presidente do Centro de Estudos do CDS António Galvão Lucas, os secretários-gerais adjuntos João Campelos e Diogo Carvalho (muito ouvidos nas questões internas juntamente com o secretário-geral adjunto Luís Machado), e os incontornáveis Filipa Correia Pinto, Miguel Barbosa, Cecília Anacoreta Correia e Filipe Anacoreta Correia.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais