Os donativos mais estranhos para Pedrógão Grande

Os donativos mais estranhos para Pedrógão Grande
Raquel Lito 02 de setembro de 2017

Máscaras de Zorro, lingerie sexy e vestidos de gala chegam aos voluntários. Também há quem dê o recheio de casa


Os donativos-mistério intrigam voluntários: de que servem máscaras do Homem Aranha, ou do Zorro, às populações afectadas pelos incêndios de Pedrógão Grande? Das pilhas de caixotes transportados em camiões TIR – inclusive vindos de comunidades de emigrantes em França –, surgem surpresas. Mas peças impróprias e inutilidades sem remetente são a excepção que confirma a regra da onda de solidariedade notável, com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa a promulgar, no dia 6, um fundo de apoio à revitalização das áreas.

Cristina Bernardo, coordenadora do armazém de roupa em Castanheira de Pêra, revela à SÁBADO que já recebeu oito toneladas de peças, algumas despropositadas e que chegam sem identificação. "Temos aqui uma panóplia de fatos de Carnaval. Recentemente, enviaram uma caixa de lingerie sexy – camisas de dormir em cetim, baby-dolls em renda, com cuecas a condizer. Também recebemos um saiote de noiva, vestidos de noite compridos, com lantejoulas e brilhantes, e sapatos de salto agulha."

Do lote de bens improváveis, separados pela equipa de 10 a 40 voluntários, há roupa interior em segunda mão e em mau estado, suja e rota. "Passaram-me pelas mãos cuecas que não estavam lavadas. Há quem aproveite para despejar o lixo de casa", lamenta. Mas ressalva: "Noventa por cento das pessoas tiveram o cuidado de mandar coisas boas. Estamos a fazer a triagem e a encaixotar para o Inverno, por tamanhos."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais