Jorge Coelho abre fábrica de queijo em Mangualde

Jorge Coelho abre fábrica de queijo em Mangualde
Fernando Esteves 17 de novembro de 2016

No último ano e meio, o antigo ministro socialista preparou discretamente um projecto industrial que o faz regressar à sua infância, passada na aldeia de Contenças

Já foi deputado, ministro, braço direito e esquerdo de António Guterres, membro do Conselho de Estado e presidente da Mota-Engil, a maior construtora portuguesa. Agora, Jorge Coelho decidiu mudar de vida e acaba de lançar uma fábrica de queijo que já no início de Dezembro começará a colocar produtos no mercado. Em declarações à SÁBADO, o socialista justificou a opção: "Durante muitos anos trabalhei para outros com grande prazer, mas agora decidi ter um projecto 100% meu."

Situada em Mangualde, a poucos quilómetros de Contenças, a aldeia em que cresceu, a queijaria representa um investimento de cerca de 1,7 milhões de euros. O "Vale da Serra" - assim se chamará o produto - será vendido em Portugal, mas não só: já há um acordo para ainda este ano começar a ser comercializado em Londres e estão em curso negociações para o vender em mercados como os Estados Unidos ou o Brasil. 

O projecto retoma uma tradição familiar: o avô de Jorge Coelho, Raúl Coelho, era comerciante de queijos em Contenças. Durante a infância o socialista tinha o hábito de o acompanhar às feiras onde comprava o produto, para posteriormente o revender. "É também a pensar nele que avanço com este projecto, que é naturalmente muito emocional."

Para conhecer todos os detalhes sobre a nova vida de Jorge Coelho leia a SÁBADO nº 665, nas bancas a partir de 17 de Setembro


Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais