Estudantes devem ganhar 10.000 novas camas em três anos

Jornal de Negócios 20 de novembro de 2019

Lisboa, Porto e Coimbra estão a atrair investimento para a abertura de residências para estudantes. As atuais 18.000 camas devem passar a 28.000 em três anos, estima a Cushman&Wakefield.

O mercado das residências para estudantes está a crescer em Portugal e, nos próximos três anos, deve ganhar 10.000 novas camas, estima a Cushman&Wakefield.

Desde 2016, o mercado das residências para estudantes recebeu um investimento de 71 milhões de euros, sendo que se espera ainda a concretização de algumas transações até ao final de 2019. Até ao momento, estão disponíveis 18.000 camas.

A contribuir para a atratividade do mercado, conta a imobiliária, está a redução das propinas das universidades, que ajudam a captar o interesse de mais estudantes tanto dentro como fora do país. Por outro lado, a afirmação das metrópoles Lisboa e Porto como cidades inovadoras e a respetiva consolidação de polos de negócios em ambas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais