Costa afasta demissão por causa de eventual descida do IVA da eletricidade

Jornal de Negócios 05 de fevereiro de 2020

Em Bruxelas, o primeiro-ministro abordou a questão do momento sobre a possibilidade de a esquerda se juntar ao PSD para aprovar a descida do IVA da eletricidade de 23% para 6%. Questionado sobre uma eventual ameaça de demissão como sucedeu no caso dos professores, António Costa garante que agora não colocou a "questão nesses termos".

António Costa pede e espera que haja "bom-senso" no que diz respeito ao Orçamento do Estado para 2020 e à possibilidade de esquerda e PSD aprovarem a redução do IVA da eletricidade para consumo doméstico de 23% para 6%, isto depois de os sociais-democratas terem alterado as contrapartidas exigidas de forma a terem o apoio de Bloco de Esquerda e PCP. 

Em Bruxelas, e em declarações, reproduzidas pela SIC Notícias, feitas aos jornalistas à margem do encontro em que entregou em mãos ao presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, a posição dos "Amigos da Coesão" relativamente ao próximo orçamento de longo prazo da União Europeia, o primeiro-ministro pôs de parte acenar com uma eventual demissão do Governo como sucedeu em 2019 a propósito da carreira dos professores, desta feita decido à descida da fatura da luz. 

"Não falei desse assunto nem pus a questão nesses termos. Não me vou pôr a fazer especulações, tendo a esperança que haja o bom-senso para não pôr em causa o orçamento", reagiu Costa quando questionado se colocava o cenário de demissão em cima da mesa caso seja aprovada a redução do IVA da eletricidade à revelia da solução preconizada pelo Governo socialista. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais