Como um advogado escapou impune a mais de 500 multas

Ana Leal 14 de outubro de 2022

Durante 10 anos, Jorge Coutinho da Costa assumiu conduzir carros em excesso de velocidade, quando não era ele. Ministério Público acusa-o de ludibriar a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

A conduzir um topo de gama da BMW, foi como o advogado Jorge Coutinho da Costa, especialista em contraordenações rodoviárias, chegou a um dos escritórios que tem em Louriçal, Pombal. O conceituado advogado, que também tem escritório em Coimbra, conseguiu passar impune a mais de 500 multas, sem nunca ter sofrido, durante mais de uma década, qualquer condenação por parte da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). A SÁBADO sabe que estão identificadas 559 situações em que o advogado de 40 anos assumiu ser o condutor de veículos que, na verdade, nunca foram conduzidos por ele. Jorge Coutinho da Costa chegou mesmo a apresentar-se como sendo o condutor de dois veículos detetados em excesso de velocidade, que circulavam em locais distintos, com uma diferença horária de apenas 15 minutos. O advogado assumiu também ter conduzido, por exemplo, dois veículos diferentes, que circulavam no mesmo dia, local e sentido e com uma diferença de três minutos, dando-se como responsável de ambas as infrações. Chegou a assumir-se, ainda, como sendo o condutor de um trator e, em pelo menos 10 situações, assumiu a responsabilidade na condução de veículos pesados que foram multados, não tendo sequer habilitações para o fazer. Desta forma “ludibriava a ANSR, tornando o processo contraordenacional mais moroso”, pode ler-se na acusação do Ministério Público, consultado pela SÁBADO.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais