Autárquicas, a bazuca do PS
Eduardo Dâmaso Director
23 de setembro

Autárquicas, a bazuca do PS

Estas são as eleições autárquicas em que a bazuca europeia se está a transformar, tragicamente, no eixo central do sistema político e partidário. E, claro, na bazuca do PS. Não de Portugal, do PS.

As eleições autárquicas de domingo vão ficar para a história política por duas coisas: vão dar mais uma vitória a António Costa e vão consagrá-lo como o homem da bazuca. Elas próprias, vão ficar conhecidas como as autárquicas da bazuca.

Como há muito se adivinhava, o PS transformou a distribuição destes milhões da Europa na arma mais letal que conhecemos em quase 50 anos de democracia. Cavaco Silva, é certo, foi pioneiro na instrumentalização dos fundos comunitários e ganhou duas maiorias absolutas com o dinheiro da Europa. Chegou ao ponto de fazer uma campanha em que afirmava que, sem ele, as famílias não manteriam robustos padrões de consumo, não conseguindo comprar frigoríficos e vídeos.

António Costa já não precisa de chegar a tal nível de demagogia política. Tem obras socialmente muito mais relevantes para distribuir e, por isso, apresenta-se em cada concelho, qual feirante de atoalhados, a distribuir estradas, pontes, extensão do Metro, uma maternidade e tudo o mais que lhe aprouver.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais