O dia da derrota
Paulo Batista Ramos
10 de maio

O dia da derrota

O presidente da Rússia é um demagogo barato, um tirano medíocre. O hábito fez o monge. Putin faz a guerra na primeira pessoa, tal como governa a Rússia. No seu país, nunca ninguém se deixou ludibriar.

Há pelo menos 10 anos que o 9 de maio não é celebrado em Moscovo como o dia da vitória dos Aliados sobre as forças do Eixo, mas como o dia da superioridade espiritual da Rússia sobre um ocidente nazificado, pérfido e atrevido. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui