E não se pode exterminá-las?
João Camargo Investigador de alterações climáticas
22 de abril de 2016

E não se pode exterminá-las?

As grandes empresas responsáveis pela expansão da hegemonia petrolífera hoje escudam-se no desconhecimento que existia na altura relativamente ao sistema climático e às emissões de gases pela combustão dos combustíveis fósseis

A 20 de Julho de 1969 Neil Armstrong tornou-se o primeiro ser humano a pisar a lua. A Apollo 11 tornava-se a primeira nave especial terrestre a aterrar noutro planeta. Minutos depois, Buzz Aldrin tornava-se a segunda pessoa a pisar a lua. Apenas três anos mais tarde seria tirada a mais famosa fotografia da Terra a partir do espaço, na missão Apollo 17. Esta foto da Terra, isolada, azul e branca no meio de um imenso negro, com nuvens a cobrirem o continente africano e Madagascar, ficou conhecida como "Mármore Azul" e ilustrava na perfeição a noção de "nave espacial Terra", sistema praticamente fechado, sem trocas com o exterior. Viviam-se os "anos de ouro" do capitalismo ocidental, antes da crise do petróleo de 1973 que iniciaria o desmantelamento dos controlos financeiros, a reversão da noção de Estado Social e a preparação para a recessão económica intermitento-permanente em que vivemos hoje. Mas preparava-se ainda algo muito mais grave: a explosão de emissões de gases com efeito de estufa que levaria ao fenómeno das alterações climáticas e do aquecimento global.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login